segunda-feira, 9 de novembro de 2015

DOR





Dor...

Sabe o significado desta palavra?

Uma amargura na alma,
uma tranca na garganta,
um desalento nas emoções,
uma nota dissonante,
na bela melodia vivente.

A Dor é como um desarranjo num belo concerto de Piano,
um conclave de idéias conflitantes,
na altura do coração,
uma forma muito trágica de descobrir o quanto se errou.

Quando erramos,
nem sempre tomamos conhecimento.
Erramos o tempo todo, como num ciclo natural de ensinamento.
É normal, coisa comum.
Mas há erros com os quais não podemos lidar.

Estes erros, demoram a dar frutos,
talvez, falte-nos juízo para entende-los,
ou mesmo, consciência,
da missão por trás deste erro,
ou por trás de uma maquiavélica busca,
onde nos faz prisioneiros destes frutos.

A Dor, esta Dor,
eu conheço agora,
é a dor da Culpa,
é a dor do querer ter feito diferente,
de ter tomado outro caminho,
ou ainda, ter feito a escolha,
eu mesmo, não outrem.

É a Dor da falta de iniciativa,
ou vontade,
ou até mesmo medo de errar,
olha o erro aí de novo,
um erro sobre outro,
um erro para evitar outro,
que dilema,
que lástima...

Se somos quem escolhemos ser,
então por que nos deixamos guiar?
falta de escolha, falta de conhecimento,
falta de verdade?
Neste mundo há muito disso,
falta de verdade,
aqui há a verdade aparente,
a verdade transformada
e a verdade manipulada.

A Verdade, em si, é única.

Ou somos a soma da nossa soberba,
em ousar enfrentar o mundo?

Eles ouvem,
eles escolhem,
eles nos traçam...

“Eles” nos transformam em algo pútrido,
como a alma deles,
oca e fétida,
por falta de amar.
Ah, que lástima,
Eu queria ter tentado mais,
ver mais profundamente,
se algo era de fato como me diziam,
ou se foi uma vingança.

Talvez eu nunca mais saiba,
pois os anos se passaram,
a porta se fechou,
há uma janela,
mas ela é alta demais,
um pulo é arriscado.

Os anos se passaram,
a culpa foi instaurando,
a vontade de tentar de novo ressurgindo,
mas as possibilidades mingam,
as pessoas que ajudam se distanciam,
e a Coragem finda.
Talvez seja o fim da Aventura.


Com Carinho Compartilho,
Anjo Guardião Branco.

09/11/2015

10:03

Onda Encantada 17 Lua Vermelha
Harmônica 55 Matriz Cristal
Lua Auto Existente da Coruja
Sol Cristal Amarelo.



terça-feira, 18 de agosto de 2015

Não sou daqui




Não sou daqui
Não sou daqui...
Não moro aqui...
Sou um estranho neste lugar.

Não me reconheço com nada,
não me identifico com ninguém,
nada se espelha na minh´alma.

Sou um extraterrestre.

Esta língua me é estranha,
não tem nexo, nem sentido,
só gracejos, sem compromissos,
toma-me de uma forma equívoca...

Não sou ninguém aqui...

Não tenho reflexo,
nem no espelho, nem no rio,
apenas no mar...

O Grande Mar...

O mistério da Humanidade,
esta pérola num colar simples,
cintila de forma exuberante,
mas não tem o respeito,
desse povo ruim...

Em casa, não me vejo,
na capela, me estranho,
no meu mar, me encontro,
na imensidão, me misturo.

Sou estranho aqui...

Se sua ciência fosse crível,
me veria como incrível,
algo belo e puro,
digno de ser espelhado.

Com Carinho Compartilho

Anjo Guardião Branco

Kin 137 - Terra Ressonante Vermelha
Luz Magnética do Morcego
Onda Encantada Macaco Azul
Anel Mago Planetário Branco

P.S.: Esta Poesia foi escrita em 01/10/2007.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Dia do Escoteiro



Feliz dia do Escoteiro,

Dia este de Lobos, Lobas, Sêniores, Guias, Pioneiros e Pioneiras,
e claro, Escoteiros e Escoteiras,
e não esqueçamos dos Chefes, claro,
pois todos são bem-vindos e bem-recebidos,
afinal, você está na casa Escoteira, casa de BP,
saudoso BP,
onde todos são irmãos e irmãs,
Onde todos têm uma só palavra; a sua Honra vale mais que a própria vida;
Onde todos são Leais;
Onde todos estão Sempre Alertas para ajudar o próximo e praticar diariamente uma boa ação;
Onde todos são amigos de todos e irmãos dos demais Escoteiros;
Onde todos são corteses;
Onde todos são bons para os animais e para as plantas;
Onde todos são obedientes e disciplinados;
Onde todos são alegres e sorriem nas dificuldades;
Onde todos são econômicos e respeitam o bem alheio;
Onde todos, são limpos de corpo e alma.
E não esqueçamos nunca, daqueles que dentre nós,
ouvem sempre os Lobos mais Velhos;
Pensam sempre nos outros;
Abrem os olhos e os ouvidos;
São limpos e estão sempre alegres;
E dizem sempre a verdade.
Somos irmãos, somos Escoteiros,
somos mais que isso, somos uma Família,
uma grande família mundial, uma Fraternidade de afins,
que dividem mais que conhecimentos, práticas ou deveres,
dividem a alma, as experiências e vivências,
dividem a Honra de pertencerem à uma Egrégora Elevada,
de Sábias palavras,
que foram e são pronunciadas todos os dias,
pelo nosso fundador, BP,
nos nossos corações.

Sempre Alerta, Nobres Irmãos e Irmãs,


Sempre Alerta para Servir, Fazendo nosso Melhor Possível.

Com Carinho Compartilho,

Anjo Guardião Branco.

23/04/2015 - Dia do Escoteiro e dia de São Jorge/Ogum 15:13
Kin 20, Sol Ressonante Amarelo, Limi,
Lua Planetária do Cachorro,
Onda Encantada da Lua Solar do Jaguar.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Hoje nem sei mais quem sou




Quem sou? Quem serei?
Me olho no espelho e vejo um ser rabugento,
uma pessoa frustrada, um desencantado com a vida...
Quem é este?
Cadê aquele rapaz sonhador?
Cadê aquele Guerreiro Sagaz, Samurai indômito, Monge guerreiro?
Ele se foi... Ficou a casca dele.
Ah, que tragédia... que falta de senso...
Que fiz comigo?
As armadilhas da vida me fizeram regurgitar meu verdadeiro ser,
a Insanidade do mundo finalmente venceu,
venceu o Mago prudente,
fez dele um quebrante comparado à ele,
que vive pulando de Filosofia em Filosofia,
tentando resgatar aquela, que o fez Mago.

Até hoje não me curei desta ferida,
desta marca que me deixaram quando me fizeram fugir,
devido a perseguições insanas, perda de consciência,
guerra de Ego, Revanchismo e outras insanidades...
Hoje, olho no espelho e vejo no que me tornei,
um ser exasperado, de fácil combustão,
de fácil desistência, de fácil deixar,
não mais o incisivo conhecedor e disciplinador.
hoje sou uma Ameba comprado ao o que eu era.

Bem, se ainda me incomodo, é por que não me perdi totalmente,
talvez ainda haja esperança, no fim do túnel,
para o Mago Branco se reerguer.

Afinal, Gandalf teve que mergulhar nas Trevas,
enfrentar o Balrog e morrer,
para se tornar Gandalf o Branco.

Talvez seja este meu caminho...

Com Carinho Compartilho,

Anjo Guardião Branco.

Kin 4, Semente Auto Existe Amarela
Kali, Lua Planetária do Cachorro

Onda Encantada da Estrela Amarela.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

FRUSTRAÇÃO






Estive feito de sonhos requebrados,
de vontades feridas, desfeitas,
por acreditar no que poderia existir
mas não existiu,
devido à Natureza Humana.

Dizem que a humanidade é projeto Divino,
Será?
Até onde isso é verdade?
Seríamos nos um projeto cósmico,
seres divinos em corpos esquecidos,
entocados em almas flageladas,
pela ruptura de um tempo,
onde nossas buscas se tornaram torpes?

Se tudo isso é verdade, onde se encaixa a Vaidade?
Onde se encaixa a Ignorância?
Onde se encaixa a vontade de dominar o próximo?

É muito dolorido tentar, e não encontrar, similaridade consciencial.

Hoje vivemos uma fase, onde a ignorância é verdadeira,
onde o consciente tem medo ou vergonha de propor a verdade divina,
onde esta mesma verdade é perigosa,
tempo, onde o fanatismo faz morada,
onde agentes das Trevas se infiltram nas lideranças,
para traçar a rota, rumo à autodestruição.

Então, se a Humanidade é projeto divino,
onde se encaixam as sucessivas destruições de mundos,
numa mesma orbe,
para se refazerem depois, e mais uma vez deitarem na Ignorância?

Sou um Esotérico Frustrado.

Mas sou insistente, ou louco,
de ainda tentar ser meus semelhantes indo em busca
da verdade Universal,
de que Todos Somos Um,
e não há Fundamentalismo no propor,
no não-impor, no oferecer,
uma resposta mais cabida,
no espaço cósmico-universal de cada um,
chamado Coração,
mesmo para um coração dominado pela Ego,
pela prisão armada, pelos manipuladores da Verdade,
hoje tão visíveis, porém invisíveis,
para aqueles que não sabem ler com Amor.

“Conheceis a Verdade, e esta lhe Libertará.”

Com Carinho Compartilho,

Anjo Guardião Branco.

Lua Planetária do Cachorro
Gama, Kin 3 Noite Elétrica Azul

Onde Encantada da Estrela Amarela.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Dias de Luz



Verifiquei em todos os cantos,
mas minh´alma não decanta,
muito menos se espanta,
com tão salutar esperança.

Ah, quem me dera voltar,
a praticar a Luz sem vacilar,
a me ater em estudar,
os princípios divinos, todos os códices,
deixado pelos Mestres de Luz.

Mas a intriga me tomou.

Os Egos avançados me assustaram,
me despertaram a desconfiança,
então a separação aconteceu,
vi a expulsão voluntária,
perdi meu paraíso...

Ah, quem me dera voltar ao passado,
e poder consertar,
erros meus, erros d´outros,
e manter a casa unida,
ainda festiva, altiva,
nos alinhar novamente à Luz.

Dizem que tudo um dia acaba,
mas não é o quê eu sinto,
sinto que há coisas eternas,
e ainda, acho que o fim das coisas
é coisa humana, ignorância,
de um povo que se perdeu nas paixões,
nas idas e vindas, na roda,
nas trevas.

Tolo eu sou,
em achar que ainda há esperança,
para uma missão que foi perdida,
pela decisão de egos...

O Ego humano, em gênero e Grau,
tomou a mente dos líderes,
seus desejos se tornaram guias,
e então a humilhação começou.
Realmente, pergunto ao leitor,
existe gênero superior ao outro?
Mulher comanda Homem,
Homem comanda Mulher?
Realmente há isso, nas instituições de Luz?

Ou foi apenas a desesperança,
ou falsa crença,
Qual nos enfiaram goela abaixo,
naqueles cursos de Luz?

Não sei. Eu fico confuso.

Eu pensei que poderia estudar sozinho,
que eu poderia manter um grupo estudando,
mas mais um Ego veio, e mais uma vez destruiu tudo.

O Ego do ciúme.

Mais uma vez eu tentei,
mais uma vez fiz um grupo de estudo,
e mais uma vez foi destruído.

Dessa vez, pelo Ego da Angústia.

Egos poderosos.
Egos destruidores.
Ou apenas eu que sou fraco,
dependo demais da aprovação dos outros?

De onde vim, é comum se associar,
é comum ter vontade uníssona,
é comum um apoiar o outro,
seja qual gênero seja, seja qual for a ameaça,
vencíamos juntos,
mas hoje fomos separados...
um num canto, outro noutro canto,
Homens e Mulheres,
separados pela Missão.

Saudade de Aldebaran....

Talvez seja simplesmente o destino,
talvez seja simplesmente a vontade dos Deuses,
que eu não ensine, ou mantenha um grupo,
nem mesmo participe mais da Senda...

Talvez eu seja mesmo um traidor,
como aquela mulher me colocou,
talvez eu realmente tenha traído meus Mestres,
ao ouvir a voz da Razão,
quando tudo era traição e discórdia...
quando tudo parecia loucura...

Talvez eu tenha interpretado mau...

Sei que este sentimento, me acompanha desde então,
sempre estou num lugar,
e não estou ao mesmo tempo,
sempre tenho a sensação de que tudo é provisório,
e que vou me reencontrar novamente,
no futuro,
mas, sinceramente,
guardo com paixão aqueles momentos,
quando tudo era Luz, tudo era Meditação,
tudo era companheirismo verdadeiro,
amizade, troca de experiências,
eu me sentia aceito pelos Mestres e pela Luz.
fadas caminhavam comigo, gnomos se mostravam,
elementais podiam me ouvir, e me atender,
apenas faltava treino, algo que o afinco pairava,
e tudo era Aconselhamento e Sabedoria.

Até que tudo começou a ruir...

Sinto falta destes dias passados,
guardarei com carinho e saudade,
Estes Dias de Luz.

Talvez um dia realmente volte,
ou talvez não,
e eu ainda caminharei com saudades,
destes dias dourados.

Com Carinho Compartilho,

Anjo Guardião Branco

08:37 24/10/2014

Lua auto Existente da Coruja

Silio, KIN 99 Tormenta Galática Azul

Onda Encantada do Humano Amarelo


Anel Lua Solar Vermelha.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Para Brie




Para Brie.

Oh, Bride, amiga minha,
que fizeram a ti?
Transferiram-te numa bata,
numa monja sem cor nem vontade?

O Bride, alegre Deusa,
sofreste com o Golpe Espiritual dos Denudos,
os usurpadores/conquistadores,
das auras mais finas e refinadas?

Oh... Que fizeram a ti?

Te transformaram em santa,
numa forma cabal e impura,
dos desejos teus,
da tua forma bela e exuberante,
lhe trancaram no eterno preto,
das prisioneiras do Catolicismo...

Quero libertá-la... mas não sei como fazer...

Me inspire, verdadeira Deusa,
como fazer para libertá-la,
pois neste momento, apenas me limito,
a honrá-la no teu festival, dançar tua música
vestir tuas vestes,
ser donzela de alma, terna e eterna,
indomada, incorruptível,
mesmo que eles tentem, nunca conseguirão,
apagar tuas marcas, ó querida donzela amiga.

Nos faça livres como vós,
nos faça amigos teus,
para sermos como ti,
livre, leve e solta,
querida e eterna Deusa.

Ainda tens filhos e filhas tuas, na Terra,
que te honram e adoraram,
verdadeiramente, cada um do seu jeito,
cada um no seu intento, na tua inspiração,
nas mais variadas formas.

Eis aqui uma delas,
um poema inspirado em ti, ó Brie,
teu poeta se faz pleno,
quando utiliza das palavras humildes deste,
Teu Orador.


Com Carinho Compartilho
Anjo Guardião Branco.

Gama 3
Lua Magnética do Morcego
1º Heptal
Kin 11 - Macaco Espectral Azul
Anel Lua Solar Vermelha
Onda Encantada 1 do Dragão Vermelho

É assim que irei comemorar meu Festival de Imbolc/Candlemas. Feliz Festival à Todos.